A crise da água e o Ozônio

ozonio-crisedaaguaConcentração populacional, mau uso do solo, atividades industriais e um crescente aumento de crimes ambientais tem sobrecarregado e prejudicado nosso ecossistema.

A necessidade que a vida demanda não é apenas na quantidade de água a ser consumida, pois isso nosso planeta tem de sobra. A questão é a qualidade da mesma. Grande parte desse volume necessita de tratamento antes de sua utilização, principalmente a parte utilizada na alimentação, higiene pessoal e sistemas de saúde (rede hospitalar).

A natureza nos oferece, em seu sistema pluvial, um processo de purificação, mas não é suficiente para o excesso de agentes químicos que constantemente estão sendo despejados em suas águas.

Nesses últimos meses temos enfrentado uma crise crescente de falta d’agua, num patamar elevadíssimo, talvez o mais alto das últimas 3 décadas. Estamos vivenciando uma situação em que a água poderá se tornar um bem de consumo caríssimo e escasso.

O controle governamental está cada vez mais rígido perante essa questão, no mundo todo, e sua capacidade de monitoramento perante as ações das empresas cada vez maior.

Mas como o ozônio pode nos ajudar a sair ou minimizar esta crise ?

Descargas elétricas de alta voltagem no ar atmosférico transformam O2 (Oxigênio) em O3 (Ozônio). Pela simplicidade desse processo, e pela abundância de Oxigênio em nossa atmosfera, o Ozônio, além de ser um sistema altamente eficaz no processo de purificação da água, é também uma opção de baixíssimo custo. Além disso, a ozonização não gera resíduos químicos, e por eliminar totalmente vírus, bactérias e demais agentes poluentes, permite a reutilização da água tratada inúmeras vezes.

Se quisermos um futuro com qualidade a abundância, precisamos fazer algo no presente.

OZONIC – fabricando geradores de Ozônio para fabricarmos um futuro melhor.

perguntas