Conservação de Frutas

ozonio-em-frutas-ozonicFrutas , leguminosas e vegetais frescos por mais tempo e sem Agrotóxicos, com Ozônio !

POR QUE OZÔNIO?
1 – reduz o desperdício de frutas: inibe a esporulação protegendo contra um amplo espectro de doenças bacterianas e fúngicas.
2 – melhora a vida útil: (Inibe a maturação e reduz os cheiros) reage com compostos voláteis, incluindo etileno.
3 – mantém a firmeza / qualidade: impede a quebra de parede de células e, portanto, amolecimento dos frutos.
4 – ambiente do armazém limpo: contínua limpeza de esporos e etileno do ar.
5 – diminui os problemas com a pectina (o que é pectina – Wikipédia);

A AÇÃO DO OZÔNIO NO ARMAZENAMENTO DE  FRUTAS E HORTALIÇAS:

O Ozônio é  amplamente usado para preservar alimentos destinados a nos Armazéns. Concentrações baixas de ozônio (0,05 ppm). Ou em câmaras frigoríficas faz que as frutas e hortaliças possam ser armazenadas por mais tempo, evitando ou destruindo mofo e evitando o crescimento de bactérias que são prejudiciais aos vegetais e frutas. O ozônio melhorar a qualidade dos alimentos e impede cheiros passem de um produto para outro.  A principal utilidade do ozônio na preservação  de alimentos é a redução e eliminação de bactérias como as duas maiores  causas de  problemas Foi possível um grau elevado de umidade , com menor perda de peso.

Estes dois resultados são obtidos numa atmosfera ozonizada:
– Ausência de mofo nos alimentos e embalagens,
– Ambiente mais higiênico para as pessoas e para os novos lotes de fruta que entram no armazém;
– Aumento da vida útil dos alimentos. Economia de dinheiro ao aumentar o prazo máximo de conservação das frutas;
– Conservação de peso com um alto grau de umidade;
– Melhor qualidade interna: Se consegue melhor preço pela qualidade da fruta pelo seu aspecto;
– Excelente aparência externa;
– Poucas perdas por deterioração: Diminui a quantidade de produto que se perde, com isso se economiza;

E ainda assim o ozônio atuará sobre o etileno, rompendo seu duplo laço de hidrocarburo destruindo por oxidação, e como sabe que está comprovando que o etileno atua no sentido de ativar o “metabolismo” de certas frutas (bananas, laranjas, maçãs, peras, etc.) ativando sua “intensidade respiratória”, o ozônio, em concentrações de 0,05 ppm, retrasa a maduração da fruta que é o que se pretende refrigerando as mesmas.

C2H4 + 2 O3        →     2 CO2 + 2 H2O

A AÇÃO DO OZÔNIO NAS DIFERENTES FRUTAS E VEGETAIS:

Continuando, detalhamos distintos exemplos sobre a ação do ozônio nas diferentes frutas e vegetais.

Maçãs – Todas as classes de maçãs, desde as mais aromáticas até as menos aromáticas, podem ser ozonizadas nos armazéns frigoríficos. Numa concentração de 0,1 a 0,2 ppm, se pode por o maior grau higrométrico que permita a fruta sem que se formem mofos na fruta nem nas embalagens. O ozônio, por ser desodorizante, elimina as emanações gasosas procedentes da respiração e do metabolismo da fruta. A maçã, ao respirar uma atmosfera saudável e sanitizada, conserva seu autêntico sabor, existindo assim, uma diferença muito notável de sabor entre maçãs ozonizadas e as que não foram. Ao eliminar se as emanações podem-se misturar no mesmo armazém frigorífico as diversas classes de maçãs, conservando cada uma delas suas características peculiares.

Pêssegos – Conservados em atmosfera ozonizada, numa proporção de 0,2 ppm se consegue aumentar a vida desta fruta, conservando todas suas propriedades, assim como seu aroma característico. O pêssego sai fresco, sem sinal de haver sido atacado pelos criptógamos menores.

Bananas – As bananas apresentam dois problemas:
1 – O transporte desde os lugares de produção até os de consumo e, uma vez maduros, se deve conservar com cuidado. Assim sendo, o ozônio inibe a maduração da banana. No seu transporte por via marítima, com um ambiente ozonizado e com uma temperatura adequada, as bananas se conservam verdes sem maturar antes do tempo. Todas as emanações que produzem são eliminadas e com todo isto o transporte fica garantido chegando a fruta nas devidas condições nos pontos de destino.
2 – Durante o processo de maturação não se deve ozonizar, por que assim sendo, a fruta não maturaria. Uma vez maduro, é conveniente ozonizar para dar uma maior vida ao produto e desse modo conservar-lo ns perfeitas condições até que resulte conveniente colocá-lo no mercado.

Tomates – Antes de proceder sua embalagem, o ozônio consegue uma maior duração do tomate, endurecendo sua cutícula e evitando os mofos devido à umidade. Os tomates assim conservados sofrem menos estragos durante seu transporte e período de comercialização.

Frutas pequenas – 0,05 ppm de Ozônio no ambiente das câmaras de armazenagens de frutas de pequeno tamanho tais como uvas, limões, morangos, amoras, abricós, ameixas, etc., não somente  reduzem  o crescimento do mofo, mas também melhora o aroma e principalmente, o aspecto externo de muitas destas frutas, retardando o aparecimento de manchas sobre a pele das frutas.

Vegetais em geral – Todos os vegetais que sofreram um tratamento com ozônio nas câmaras frigoríficas, ou imersão em água ozonizada, aumentaram sua conservação assim como também uma maior conservação uma vez fora das câmaras. Um exemplo,na batata se retarda o crescimento de talos e se prevê ou paralisa uma grande variedade de enfermidades produzidas por fungos.

ozonic-morangos-tratados-com-ozonioMORANGOS: Reduz as taxas de deterioração: Nossa experiência mostrou uma melhoria de 20% dos morangos da classe comercial, como resultado do tratamento de Ozônio (observe as imagens ao lado).

Até dez dias após a produção, os frutos tratados mostram menos aparência de mofo, com menos pontos macio. Observe a imagem ao lado

O ozônio pode ser utilizado na forma de gás para eliminação de mofo, retardamento da maturação, redução de perdas no transporte e aumento da vida útil da fruta, ou na forma dissolvido na água – quando o processo requer isto. Tudo vai depender de sua utilização.

Entre em contato conosco e tire suas dúvidas: